Champagne Das Cinco

dezembro 22, 2010

Etiquetas para festas de final de ano

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 8:46 PM
Tags: , ,

Estamos no mês das festas de final de ano das empresas e dos clientes. É uma época atribulada, de final de projetos, de trabalhos de última hora, mas também de curtir estes momentos e aproveitar para conhecer melhor os colegas de escritório, os clientes e as pessoas que trabalham o ano todo em seu redor.

Todos os anos acontecem, mas algumas pessoas não sabe muito bem como se portar nestes eventos, que apesar de algumas vezes serem mais informais do que o ambiente de trabalho, continuam exigindo uma postura profissional.

Algumas dicas para quem quer manter a elegância nestas ocasiões – mais diversão e menos gafes.

Como vestir

  • Jantares formais pedem roupas formais. Por mais que seja uma festa da empresa e com os colegas de trabalho, a roupa deve ser adequada ao ambiente e ao estilo do evento.
  • Momentos como estes são uma ótima oportunidade para se fugir um pouco do  guarda-roupa profissional de todos os dias, mas nem por isso as regras gerais de dresscode de trabalho deixam de ser aplicadas.
  • Como em qualquer evento, é importante estar bem apresentável. Preste bastante atenção no dresscode e se necessário, peça mais informações aos organizadores da festa. Lembrem-se, decotes generosos, vestidinhos de malha apertados e roupas muito curta não estão liberados em festas do trabalho, por mais informal que seja.
  • Se for formal, vá de terno ou de vestido de festa, que pode ser curto – no joelho ou longo se a ocasião pedir. Sapatos e acessórios também devem combinar.
  • Nos eventos informais redobrem os cuidados. Sabem o dia em que a maior parte das pessoas comete erros ao se vestir? O Casual Friday, e aqui é o mesmo caso.
  • Eventos que não pedem um traje específico deixam mais margens para erros e gafes, pois muita gente esquece que estarão entre seus colegas de trabalho, chefes e clientes.
  • Mesmo que seja um churrasco, bermuda de surfista, camiseta regata pode não ser a melhor escolha, assim como o short jeans para as mulheres, além de quaisquer detalhes sugestivos ou sensuais – roupas justas, excessos, etc.
  • Na dúvida, use bermuda de tecido, camisa polo e tênis ou sapatênis para os homens e um vestido ou saia no joelho, sem decotes chamativos e sandália para as mulheres. E lembre-se, plataformas e malhas informalizam qualquer produção, enquanto tecidos lisos e saltos mais finos deixam o look mais chic.

 

 

Etiqueta nesta hora faz toda a diferença

Em festas como estas, é comum que o regime seja de open food e open drink. Nestes casos, existem pessoas que bebem em excesso ou comem como se aquela fosse a última ceia da vida – não passe recibo.

Para não fazer parte deste time, vamos manter a elegância e a compostura, principalmente se houver clientes entre os convidados.

  • Ninguém merece ficar alcoolizado na frente do chefe, falar besteiras para um cliente importante ou colega de trabalho para se arrepender na segunda-feira. Afinal, estes eventos são de certa forma, compromissos profissionais. É claro que você pode ficar mais descontraído e está liberado para uma taca de champagne, sua cervejinha ou um drink que mais goste, mas procure não exagerar.
  • Com relação à comida, nunca vá com fome a eventos como esse, normalmente existem discursos, entrega de prêmios, anúncios e outros assuntos a ser discutidos antes do jantar ou almoço propriamente dito.
  • Espere que as pessoas mais velhas se sirvam ou pelo menos que seu chefe se levante antes de ir se servir, e aguarde que todos em sua mesa acabem de comer antes de pedir sua sobremesa.
  • Coma devagar, manuseie corretamente os talheres e não fale de boca cheia.
  • Evite falar muito alto, dar risadas espalhafatosas, fazer brincadeiras de mau gosto e falar palavrões.
  • Se tiver DJ, dance comportadamente, procure acompanhar os colegas, mas sem dancinhas até o chão.
  • Ficou alegrinha, troque a bebida por um copo de coca-cola.
  • Cansou, sente-se de volta em sua mesa. Tirar o sapato, jamais, nem aqui e nem em nenhum outro evento.
  • Parabenize os colegas que ganharam menções da empresa, mesmo que você ache que eles não merecem, ou que você merece mais.
  • Evite fazer brincadeirinhas, mencionar histórias que envergonhem os outros, temas obscenos e intimidades.
  • Discutir com o esposo ou esposa no evento? Nem pensar.
  • E por falar em maridos e esposas, não se esqueça que as dicas se aplicam as eles também, inclusive na maneira de vestir.
  • Procure aproveitar o evento para se apresentar a colegas novos, retomar contato com pessoas de projetos passados, cumprimentar os chefes pelo sucesso da empresa (mas sem puxa-saquismo), introduzir sua esposa ao grupo e claro, usufruir do momento de comemoração.

Sempre com a elegância e a postura de profissional que você é, dentro e fora da empresa.

Por Nize de Freitas!

dezembro 6, 2010

DICAS PARA COMEÇAR BEM O ANO NOVO

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 10:04 PM
Tags: , , ,

O fim do ano está chegando e a gente tem muitos micos pra contar do ano que passou né? Para não cometer os mesmos erros em 2011, o Champagne das Cinco separou todos os pontos positivos que devemos manter e os negativos para evitar gafes, micos e saia justa. Vamos ter motivos de sobra para brindar na virada? Então, pega o moslekine ryyyco e anooooota tudo! Beijos Tati Carvalho

Aprenda e siga as regras de etiqueta e boas maneiras, e se mesmo assim, em algum momento, bater uma dúvida, lembre-se que ser gentil, sincero e atencioso, é a regra-mestre para conquistar respeito e confiança.

Viver com cordialidade e segurança no trato social e profissional, é algo que parte de uma importante premissa: conhecer a si mesmo e a cultura do ambiente onde vivemos e trabalhamos.

Algumas informações para facilitar a colocação destes conceitos em prática.

Quem Sou? Auto-análise e autoconhecimento.

O que tenho a oferecer?
Que características me tornam uma pessoa interessante e especial?
Qual a minha missão?
Qual a minha visão?
Que princípios me orientam?
Qual é o meu talento?
Quais meus pontos fortes e habilidades?
Em que preciso melhorar?
O que busco – objetivos.
O que alcancei até agora?
Minha imagem pessoal e profissional está adequada para a empresa que eu
represento?
Qual o meu plano pessoal e profissional?

Dicas

Blazer é um coringa para homens e mulheres;
A gravata deve chegar até a altura do furo do cinto;
Prendedor de gravata está em desuso;
Nunca fume em reuniões, visitas ou locais fechados;
Ande sempre com cartões de visita atualizados;
Cuidado para não exceder nas festas de empresa, happy hours, jantares e almoços sociais, comemorações, etc.;
Nunca seja o último a sair dos eventos;
Bolsas pequenas mostram maior refinamento nos eventos noturnos;
Esteja atento e seja cordial com todos, afinal somos todos iguais e merecemos respeito;
Jamais chame o cliente de querido, meu bem, benzinho;
Conheça os usos e costumes de cada local e preste atenção aos detalhes;
Na dúvida, observe primeiro e pergunte depois;
Nunca trate de assuntos particulares próximo a clientes;
Lembre-se que cada cargo ou função demanda algumas posturas e responsabilidades diferentes;
Nunca reclame ou fale mal da empresa em que trabalha perto de clientes e fornecedores;

Fuja do mico

Chegar e não cumprimentar;
Não expressar gratidão ao receber um presente;
Tocar numa obra de arte sem estar autorizado;
Deixar um convidado sem lugar para sentar;
Falar enquanto um artista se apresenta;
Sussurrar ou rir em um templo religioso;
Ler enquanto outros estão conversando;
Conversar enquanto outros estão lendo;
Dar gargalhadas ruidosas;
Criticar alguém na frente dos outros;
Falar mal de uma pessoa ausente;
Cortar unhas na presença de outras pessoas;
Rir dos erros alheios;
Começar a comer logo depois de sentar à mesa;
Não retribuir um sorriso;
Não agradecer um elogio.

Dicas de almoço e jantar de negócios

Almoço ou jantar de negócios: quem convida paga a conta;
Opte por refeições e bebidas leves e lembre-se que a finalidade é comercial e não nutricional;

Evite: palitar os dentes, mastigar com a boca aberta, cotovelos na mesa, olhar só para o prato, arrastar a cadeira, comer antes de todos estarem servidos, chamar o garçom por outro nome, usar o celular.

Por Nize de Freitas

dezembro 1, 2010

VOCÊ EM FOCO! Palestra com Consultora de Imagem e de Etiqueta

Filed under: Baphón — champagnedascinco @ 7:08 PM
Tags: , , , ,
Palestra com a Consultora de Imagem e de Etiqueta Empresarial Adelita Costa
  
 
“Marketing Pessoal: Aparência e Comportamento também contam”
 
falando de forma leve e bem humorada que nossas escolhas do que dizer e de como vestir também exercem influência nos sucessos e insucessos de cada um.
 
Que tal parar um instante para pensar um pouco em você?                                       
 
 
Esta é a proposta do Creci-GO e do Sindimóveis-GO.
Faça já sua inscrição solidária.O ingresso é uma lata de leite em pó para a campanha Natal com Leite.Ligue 3095 6530 e fale com Francisco para reservar sua vaga. 
Cândida Dias
Relações Públicas
Pós-Graduada em Planejamento e Logística em  Eventos
Agenda 4 Eventos • Goiânia/GO
Tel: 62 3274-3414 / 9801-2376
www.agenda4eventos.com.br
 
 
Profa. Adelita Costa
Relações Públicas e Cerimonialista
ACF – Eventos, Cursos de Etiqueta & Cerimonial
62  9632-4763   99 4011-4100
adelitaeventos@cultura.com.br
acfeventos@hotmail.com
Link cursos: www.agenda4eventos.com.br/parceiros.htm
 
Por Tati Carvalho

 

Data:02/12/2010 a partir das 18h30min.                                                                                                                 Local: Auditório do Sinduscon.

Rua João de Abreu Nº, 427 – Setor Oeste
Goiânia – GO, 74120-110
(0xx)62 3095-5155

setembro 8, 2010

O CERTO E ERRADO À MESA

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 9:44 PM
Tags: , , ,

 

 

 

Qual é a forma correta de arrumar a mesa para um almoço ou jantar?
As facas ficam do lado direito do prato, com as lâminas voltadas para dentro. A colher de sopa (se tiver) vai ao lado da faca. Os garfos ficam do lado esquerdo, assim como os guardanapos, que também pode ser colocados sobre os pratos. Os copos vão acima do prato, do lado direito.

O que faço com o guardanapo quando estiver comendo? E quando terminar?
Se for guardanapo de tecido, coloque-o sobre seu colo, sempre. Se for de papel, fica sobre a mesa do lado esquerdo. No final da refeição, disponha-o, dobrado de volta à mesa, do lado esquerdo do prato ( tanto o de tecido como o de papel). 

 

À mesa, posso cortar o pão com faca?
O pão se parte com os dedos.

 

Qual forma correta de comer azeitona como tira-gosto?

Azeitona come-se com os dedos, e com a mão esquerda em concha retire o caroço.

 

Qual a posição dos talheres?

  • Os talheres são colocados de ambos os lados e acima do prato e são usados de fora para dentro.
  • Os garfos ficam do lado esquerdo. A forma mais elegante de comer é conservá-los nessa mão.
  • As facas e a colher de sopa ficam do lado direito, devendo ser manuseadas com a mão direita.

 

 

E a forma correta de manuseio dos talheres?

O procedimento correto, em todos os países do mundo que adotam as maneiras européias, é usar os talheres na posição em que são apresentados. Os canhotos devem treinar para não trocar de mão.

 

Qual o talher para se comer talharim?

Massas do tipo espaguete ou talharim devem ser enroladas no garfo, que nesse caso estará na mão direita.

Se servirem algo que não conheço e não sei como se come, o que devo fazer?
Espere alguém começar a comer e tente fazer igual. 

 

 

Onde colocar a colher no final da sopa?

A sopa deve ser tomada pelo lado da colher e no final da refeição, ela fica no prato auxiliar.

 

Qual a posição dos talheres ao término da refeição?

Os talheres ficam dispostos numa linha paralela ao prato, com os cavos voltados para a direita. Nunca cruzados, dentro do prato.

 

E os copos?

  • Os copos são alinhados do meio para direita do prato, na ordem em que serão usados, começando pelo mais próximo da mão.
  • O primeiro, menor, para vinho branco.
  • O segundo, médio, para vinho tinto.
  • O terceiro, maior, para água.
  • Em ocasiões formais, poderá haver um copo em formato flute, para o champagne.
  • Os copos devem ser segurados pelas hastes, sem deixar o dedo mínimo levantar.
  • Os copos não devem ser cheios até as bordas, o correto é dois terços.

DICAS

 

  • Massa não se corta com faca, jamais.
  • Peixe não se parte, afasta-se delicadamente o pedaço menor do maior com os talheres de peixe – garfo e faca.
  • Espinha de peixe, coloque o guardanapo na frente da boca e com os dedos retire discretamente, colocando em seguida no cantinho esquerdo do prato.
  • Ajudar com a faca a colocar a comida no garfo é a maneira mais elegante e prática. É a maneira européia.
  •  Os talheres servem para levar a comida à boca, não se deve, portanto levar a boca à comida.

Por Nize de Freitas

Foto: Madonna campanha Dolce Gabbana

agosto 10, 2010

VESTIDOS EM ALTA

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 9:44 PM
Tags: ,

Desde o verão passado os vestidos mais curtinhos viraram tendência absoluta e invadiram os guarda-roupas e as ruas. O sucesso foi tanto, que mesmo as baixas temperaturas do inverno não conseguiram trancá-los no armário e eles continuaram firmes e fortes no inverno.

No verão 2011 continuam em alta, só que com modelagens mais soltas e tecidos bem mais leves, vale até ressaltar, os babadinhos e uma leve transparência nos looks da próxima estação.

Os longos

Se desde verão passado os vestidos da moda se resumiam aos curtos e curtíssimos, no verão 2011 a democracia reinou e os comprimentos longos e medianos também prometem ter sua vez na estação.

 

Como usar

  • Os modelos da estação são os mais largos em “A”, que podem ser usados soltos ou acinturados com cintos finos e médios, outra das tendências do verão 2011.
  • Nos pés sandálias altas ou baixas, sapato Oxford, plataformas e as clogs são as companhias ideais para os vestidos de verão.
  • Estampas étnicas, geométricas e florais em tecidos leves, são as grandes apostas para o look.
  • As mais gordinhas devem apostar em estampas pequenas de base mais escura.
  • Babados e babadinhos prometem ter bastante destaque nos vestidos.
  • As baixinhas devem optar pelos vestidos com comprimento mediano (pouco acima do joelho) e com cintura alta para ganhar um bom alongamento da silhueta. Caso queiram usar vestidos longos devem usar os que chegam bem próximo ao chão e fugir dos que terminam pouco abaixo do joelho ou no meio da perna.
  • Os vestidos longos com o tamanho ideal, nem folgados, nem ajustados, favorecem as mulheres de quadril mais volumoso.
  • As mulheres com corpo triângulo-invertido devem dar preferência aos vestidos mais longos, com bastante volume, babados e drapeados na parte inferior e sequinhos na região superior.
  • Mulheres com o corpo em pêra devem destacar os ombros apostando em detalhes como, babados, alças diferentes, drapeados, e disfarçar o quadril com caimentos mais retos.

Como usar babados de maneira positiva

A busca por looks românticos começam a ficar em alta e a moda é bem-vinda já que, dá muita feminilidade ao visual, mas é necessário ficar atenta para essa tendência e saber usá-la é fundamental.

 

Como usar

  • Cuidado com a quantidade de babados e com o uso de acessórios, ou seja, quanto mais babados menos acessórios.
  • As saias e vestidos com babadinhos ficam perfeitos para passeios diurnos com sandálias rasteirinhas, o look fica super verão.
  • Os tons suaves, pastéis são perfeitos para o uso de babados.
  • Os babados dão volume à roupa e não devem ser usados em áreas nas quais não se quer chamar atenção.
  • Para aquelas que têm quadril largo e querem disfarçar o ideal é aderir aos babados nas barras das saias.
  • As mulheres com pouco busto podem optar pelos babados na região, pois o volume dado por eles dá equilíbrio.
  • As gordinhas devem preferir o uso de babados em barras de saia, blusa e vestidos, fugindo do seu uso em peças inteiras e áreas que queiram disfarçar.
  • Quando se escolhe o uso de babadinhos na área do busto deve-se preferir o uso de penteados que prendem os cabelos, assim, os detalhes da roupa ganharão o destaque desejado.
  • Normalmente as roupas com babadinhos são elegantes e tem tudo para ir do trabalho para a balada.
  • São perfeitos também para festas de fim de ano.

Por Nize de Freitas

julho 16, 2010

MANDAMENTOS DO USO CORRETO DO TERNO

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 1:56 AM
Tags: , , , , , , , , ,

O terno masculino é o máximo do design e da competência. Cobre o corpo acompanhando sua anatomia, dobra junto às articulações, protege sem atrapalhar e, de quebra, impõe credibilidade, poder e autoridade. Na hora de comprar um terno, saiba que o paletó deve vestir perfeitamente nos ombros, o resto pode ser ajustado pelo alfaiate.

Seu exterior é o primeiro impacto, a primeira referência que os outros têm de você. As pessoas reagem instantaneamente à aparência das outras, e até certo ponto, isso se dá pela maneira como estão vestidas.

Todas as empresas adotam comportamentos e trajes de acordo com a sua cultura interna. As empresas multinacionais, principalmente as européias, tendem a serem mais conservadoras quanto ao modo dos funcionários se vestirem. Muitas vezes, estas regras são implícitas e, dependendo do nível hierárquico, ficam a cargo do bom-senso do próprio funcionário.

Com um guarda-roupa básico, o homem clássico transita por todas as situações. Basta que, de tempos em tempos, dê uma renovada nos básicos, atualizando-os com novos acessórios.

 

USO CORRETO DO TERNO

 

  • A gola deve assentar no pescoço.
  • Os colarinhos sociais e esportivos são os sinais mais visíveis da elegância de um homem. Maiores que o pescoço desaba qualquer rosto e apertados, sufocam o visual.
  • Camisa, sua combinação com a gravata pode demonstrar atitude moderna ou decepcionar de cara. Estes itens devem ser atualizados a cada estação.
  • Ombros lisos, sem ondulações ou repuxados. Maiores ou menores criam um ar desmontado ou desconfortável.
  • Lapelas bem assentadas e mangas terminando no encaixe entre pulso e mão.
  • As mangas devem cair impecáveis em camisas e paletós com os comprimentos certos. Curtas deixam qualquer um deselegante ou mesmo cafona. Compridas, acabam com qualquer sinal de elegância. E não basta dobrar as mangas para dentro.
  • A largura do casaco deve ser do tamanho do corpo. Justo demais parece que encolheu na lavagem, largos, engordam e deixam a silhueta mais baixa.
  • Botões discretos e sempre que possível, use abotoados.
  • O comprimento não deve passar muito das nádegas e nem ser muito curto. Quanto mais longo, as pernas parecem menores..
  • Aberturas traseiras podem ser: no meio, as preferidas dos ternos americanos (medem 17 a 22 cm). As laterais são as preferidas dos ingleses.
  • Terno convencionou-se a chamar a dupla, paletó e calça de terno, o correto seria “costume”, já que o terno vem com o colete.
  • O jaquetão ou terno de abotoamento duplo é o mais formal.
  • O terno quatro botões são os menos clássicos, assim como os ternos de um botão.
  • Três botões são os mais tradicionais de todos e ficam bem para todo mundo.
  • Dois botões deixam mais à mostra a camisa e a gravata. Capriche na combinação – camisa, gravata.
  • O vinco da calça deve correr reto de cima até embaixo, sem fazer curvas no joelho e o cumprimento deve desabar sobre o peito do pé, sem sobra na frente e atrás. Cuidado com o look “pula-brejo”.
  • A gravata deve cobrir o furo do cinto, nada mais. As lisas são mais formais e a regimental (listra na diagonal) é sempre elegante. A gravata é a parte mais versátil do traje masculino. Com ela, o homem pode passar um pouco da sua personalidade e de seu estilo. As tonalidades variam muito, mas deve-se buscar as mais clássicas, como preto, marinho, vinho, bege ou amarelo.

 

CALÇAS, SAPATO E MEIAS

  • Calças, as modelagens de volume moderadas para o ajustado são as que vestem eternamente bem.
  • O comprimento, especialmente as formais, deve ter a bainha marcada corretamente. Curtas comprometem, longas demais acabam com o visual.
  • Se quiser uma calça menos esportiva, tipo passeio, compre uma de gabardine, bege, com duas pregas e barra italiana.
  • Esportiva clássica, cor gelo, sem pregas, barra simples, na gabardine, brim ou popeline pesada.
  • Curinga absoluto no inverno, cinza mescla, com duas pregas, fica bem com blazer e gravata, suéter e jaqueta esportiva.
  • A calça jeans para o trabalho, o tradicional jeans five-pockets (cinco bolsos), escuro é o melhor, apenas amaciado, sem lavagens agressivas.
  • O sapato deve ter a mesma cor do cinto e da meia. Escolha sapatos adequados ao tipo de roupa. Os amarrados combinam com tudo, até com roupas informais. Os esportivos só se prestam a produções informais.
  • A meia é como o juiz de futebol, quanto menos aparecer, melhor. Perna masculina cabeluda aparecendo nem pensar. Atenção com as meias, na dúvida, combine com os sapatos. Aconselho que a pasta acompanhe a combinação, isso favorece o conjunto.

 

EVITE

  • Calça com o vinco amarrotado ou com várias marcas ou bainha empapada.
  • Sapato surrado, mancha de gordura na calça, demonstra desatenção aos detalhes.
  • Camiseta regata, tênis, gravatas chamativas, brincos.
  • Calça social com tênis – sem comentários.
  • Meias brancas com sapatos social ou mesmo esportivo, foi hit nos anos 40 e 80.
  • Blazer marinho com brasões, se você não é chefe de delegação de clube, nem técnico de futebol, nem almirante – esqueça o espírito corporativo e militar.
  • Arregaçar as mangas do blazer só para dar um ar de descontração. Você pode ser confundido com o “rei do brega”.
  • Blazer com tênis parece que dá certo, mas não dá. Remete ao gênero informal antigo. Só fica bem para os adeptos da tribo dos modernos, ligadíssimos em moda.

        Comprimento das meias            Gravata regimental            Comprimento gravata

 Por Nize de Freitas

 

julho 6, 2010

QUAL O JEITO CERTO DE DORMIR – POSTURA, COLCHÃO E TRAVESSEIRO

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 1:59 PM
Tags: , , , ,

Especialistas explicam como a posição do corpo na hora de dormir, a escolha do travesseiro e do colchão de acordo com o biotipo da pessoa e até o ambiente do quarto contribuem para uma boa noite de sono.

Alguns problemas e preocupações no trabalho e na vida pessoal, ou mesmo determinadas doenças podem afastar a possibilidade de uma boa noite de sono. A qualidade do sono pode ser prejudicada por razões bem mais simples de serem resolvidas – que incluem a postura na hora de dormir, a escolha do colchão e do travesseiro, os hábitos antes de ir para cama e até o ambiente escolhido para relaxar e dormir.

Em geral, o melhor jeito de adormecer é na posição lateral, porque a coluna fica mais protegida e a respiração flui melhor. Essa é a melhor maneira segundo os especialistas, principalmente para as pessoas que sofrem de refluxo e distúrbio do sono. “Quando ficamos de barriga para cima, a gravidade empurra a língua e a pessoa tem mais chance de roncar ou de ter apnéia (parada respiratória).
Sobre o sono: desligando-se.
Vigília: período acordado.
Estágio 1: sonolento, consome 5% do sono.
Estágio 2: sono superficial, leva 30% do tempo total.
Estágio 3: sono profundo. O corpo começa a descansar – ocupa 10% do sono.
Estágio 4: sono pesado. Consome 30% do sono.
REM: abreviação, em inglês, do movimento rápido dos olhos. É a hora dos sonhos e do descanso mental e ocupa 25% da noite e acontece no final.

POSTURA ERRADA
• Não se deve curvar a cabeça e colocar as mãos sob o travesseiro, pois a coluna não fica em linha reta e o travesseiro na altura adequada.
• Outro ponto a ser destacado é que as pernas não devem ficar dobradas (uma sobre a outra), para que não exerçam “peso’ sobre a bacia e nem entortem a coluna.
• Para quem dorme assim, o ideal é usar travesseiros que acompanhem o formato do pescoço, ou seja, não podem ser muito altos e nem muito baixos, e o colchão deve moldar um pouco as curvas das costas e bacia.

POSTURA CERTA
• Deitar de lado, colocar um dos braços sobre o peito, o outro ao longo do corpo, pernas flexionadas, mantendo a coluna alinhada.
• Importante usar um travesseiro entre as pernas. Quem tem pernas mais gordinhas usar uma almofada ou travesseiro mais fino entre as coxas.

COLCHÕES BONS DE CAMA

Quanto ao colchão, não pode afundar ou deixar o corpo dolorido. Para evitar lombalgias, cervicalgias e outros problemas na coluna, teste o colchão, antes de comprá-lo. Eles devem se adaptar perfeitamente ao formato do corpo, evitando desconforto e dormência no dia seguinte. “O bom colchão é aquele que molda as ondas naturais da coluna, relaxando os músculos e aliviando os pontos de tensão, para que se tenha um descanso profundo”.

O colchão deve proporcionar conforto, sustentação muscular e óssea e facilitar a circulação. Dicas de colchões:

• Molas individuais ensacadas: indicada para casais, pois não há ligação entre as molas e o parceiro não sente o movimento do outro. O ruído de metal foi eliminado.

• Espuma: é formada por uma única lâmina de espuma maciça e deve ter a densidade indicada para o tipo físico de cada pessoa, para não causar desconforto e dores musculares.

• Espuma viscoelástica: desenvolvida pela NASA, esta nova tecnologia criou uma espuma mais resistente a fungos, bactérias e poeira. É recomendada para pessoas que tenham problemas respiratórios e alergias. Estes colchões acompanham as formas do corpo (moldam), mantendo a coluna e o pescoço alinhados, suavizando os pontos de pressão dos ombros e quadris e aliviando as dores musculares.

• Látex: para pessoas com problemas respiratórios, porque possui furinhos que permitem que o ar circule, evitando a presença de ácaros. O modelo tem a mesma consistência da espuma.

• Bamboo memosense: com molas ensacadas e tecido revestido com fibras naturais de bambu, permite que o corpo não sinta calor no verão e nem frio no inverno.

TRAVESSEIROS

Os melhores travesseiros são aqueles que fazem a pessoa se manter durante a noite, deitada de lado e com a cabeça na lateral. O travesseiro não pode ser muito macio, nem muito rígido. Dicas de travesseiros:

• Ortopédico: chamado também de anatômico, é mais alto na parte superior, facilitando o encaixe adequado da cabeça.

• Espuma: mais ou menos densa, a espuma mantém a cabeça na altura certa e não a deixa afundar.

• Pena: é muito macio e leve, porém, as penas se deslocam facilmente para as bordas deixando o centro fundo.

• Látex: feito de borracha macia é bem ventilado, porque possui furinhos que deixam o ar circular, além de ter durabilidade de cinco anos. É antialérgico, antiácaro, antibactéria, antitérmico, antimofo e lavável.

Conforto, neste quesito, os melhores são os de látex, porém tudo depende de como a pessoa reage ao material do travesseiro.

Altura, muito alto ou muito baixo, faz com que os músculos do pescoço comprimam veias e artérias da área, prejudicando a circulação. Os efeitos são sentidos logo ao acordar, torcicolo, adormecimento na nuca e dores nos ombros.

Dicas para entrar em sono profundo

• O quarto deve estar escuro ou na penumbra, condição necessária para que o corpo produza o hormônio melatonina, que induz ao sono.
• Evite deixar a TV ligada ou as janelas abertas, pois os ruídos deixam o sono superficial.
• Mantenha a temperatura do quarto entre 15 e 25 graus, pois isso influi na qualidade do sono.
• Não consuma café ou álcool próximo à hora de dormir, pois são bebidas estimulantes.
• Quando chegar em casa, tome um banho morno e durante o banho, faça uma massagem no corpo com óleo de lavanda.
• Vista uma roupa confortável, antes de ir para a cama.
• Evite ficar no computador trabalhando até altas horas.
• Tome suco de maracujá, chá das folhas relaxantes ou um copo de leite morno.
• Ao deitar, faça relaxamento. Coloque uma música suave, inspire e vá soltando o ar devagar.

Bons sonhos!

Por Nize de Freitas

junho 28, 2010

FENG SHUI NO VESTUÁRIO

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 12:59 PM
Tags: , , , ,

Existem basicamente dois dados importantes que devem ser levados em consideração na hora de produzir um estilo para seu vestuário ou mesmo para se preparar para uma situação especial – as cores e as formas.

As cores podem ser utilizadas para a composição, segundo os conceitos fundamentais do Feng Shui, independente de moda ou tendências.

 

O uso da cor e da forma, segundo o Feng Shui no vestuário.

Tudo o que nos cerca tem cor e quase sempre é um dado importante para fixarmos em nossa memória as características de pessoa ou lugar. A forma é outro fator importante em tudo o que vemos e sempre foi um recurso muito utilizado por artistas, designers, arquitetos e estilistas, aplicadas em pinturas, esculturas, mobiliário, moda, etc.

Cores e formas têm papel importante em nosso vestuário. São os primeiros dados de nossa aparência detectados por quem nos vê e causa a famosa “primeira impressão”.

Cinco são os elementos da natureza considerados pelo Feng Shui: Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água.

Madeira

  • Representa firmeza, equilíbrio, crescimento e conexão com a natureza.
  • A principal virtude simbólica deste elemento é a benevolência.
  • Cores: o verde e o azul.
  • As formas: cilíndricas, como dos grandes troncos das árvores.

 

Fogo

  • Representa poder, prazer, fama, razão, expressividade, motivação e coragem.
  • Principal virtude: a energia.
  • Cor: o vermelho e suas variações.
  • Formas: triangulares, pontiagudas como as chamas.

 

Terra

  • Representa solidez, estabilidade, sinceridade e lealdade.
  • Principal virtude: fé em tudo o que é certo.
  • Cores: marrom, amarelo e laranja.
  • Formas: quadradas, retas e planas.

 

Metal

  • Representa a justiça e força moral.
  • Principal virtude: retidão.
  • Cor: branca.
  • Formas: circular e oval.

 

 

Água

  • Água parada: representa o intelecto e a inteligência.
  • Água corrente: representa as relações sociais e comerciais.
  • Virtude: sabedoria.
  • Cor: preta.
  • Formas: onduladas e orgânicas.

 

Com base nas informações acima vamos dar algumas dicas de como utilizar estes recursos para causar, com a aparência, a impressão desejada. A técnica do Feng Shui pode ser bastante útil em nosso vestuário.

Feng Shui no vestuário para a entrevista de um novo emprego:

  • Feng Shui no vestuário para cargos na área de criação.

Demonstre inteligência, criatividade e lealdade em sua aparência. Na composição de seu vestuário a cor preta deve predominar. Um leve toque de amarelo confere a lealdade procurada em profissionais de criação tão disputados no mercado atualmente. As formas das roupas e acessórios devem ser orgânicas, leves, confortáveis, que proporcionem liberdade de movimentos. Sapatos mais despojados, porém muito bem cuidados ou de preferência novos. A roupa deve demonstrar a intenção de estar confortável.

  • Para cargos na área de promoção, vendas e marketing.

Vermelho é o ideal, pois confere energia, dinamismo, poder de articulação e prazer pelo trabalho. Esta aparência passará a impressão de ousadia e determinação necessárias para estas funções. Por ser uma cor muito marcante deve ser utilizada com cuidado, o truque é ter detalhes em vermelho na gravata ou lenço de seda. Os sapatos podem ser mais extravagantes, porém sempre com bom senso. Como é uma cor muito sensual, o corte das roupas deve ser discreto.

  • Para os cargos na área administrativa e financeira.

Marrons, verdes e azuis, os tons dos elementos madeira e terra conferem à  imagem, a característica de solidez, firmeza, equilíbrio, lealdade e capacidade de organização. As formas destes elementos são retilíneas e livres de detalhes. Procure compor um visual objetivo, sem muitas informações, que passa a impressão de sensatez e firmeza para enfrentar situações de comando.

  • Para cargos de confiança – secretárias e assessores.

Branco com detalhes em amarelo. Não há combinação mais adequada quando se quer passar a impressão de confiabilidade, força moral, sinceridade e transparência de idéias. Sapatos de saltos médios e grossos para as mulheres passam competência e profissionalismo. Procure usar roupas e acessórios mesclando formas retas e circulares, que remetem aos elementos Terra e Metal. O branco sempre teve uma conotação de pureza e transparência.

 Por Nize de Freitas

maio 26, 2010

HOMEM ALINHADO NO TRABALHO

Vestindo-se bem para o trabalho

Importante separar as roupas para sair das que usa para trabalhar. Na maior parte das vezes, o guarda-roupa de lazer não é o mais apropriado para se usar no escritório. O problema é fazer a seleção pensando na idade das peças. A maioria das pessoas reserva as melhores roupas para o fim de semana e deixa as mais surradas para o trabalho, esquecendo o quanto a imagem  profissional é importante. Resultado  estão sempre mal arrumadas no trabalho, o que é muito prejudicial para a carreira.

Invista no seu guarda-roupa de trabalho. “Dê uma olhada para ver o número médio de horas que você passa na empresa. Não se vestir com cuidado para ir trabalhar significa passar a maior parte do tempo com sua competência embrulhada de qualquer jeito”, pense nisso.

Viajando a negócios
               
Quando um profissional viaja, ele se torna uma espécie de embaixador da empresa. É do tamanho desse título que fica a sua responsabilidade. Tudo o que fizer será usado a favor ou contra não apenas dele, pessoa física, como também da empresa em que trabalha.

Algumas dicas para essas ocasiões:

1. Defina bem a razão da viagem e o seu objetivo principal.

2. Seja pontual em todos os compromissos. Não há justificativas para atrasos em viagens de negócios

  1. Informe-se sobre a empresa que está visitando (porte, tempo de mercado,

    faturamento  anual).
3. Conheça os hábitos e os costumes da região a ser visitada.
4. Dê chance ao visitado para que mostre sua empresa, projetos e investimentos.
5. Mostre satisfação com a oportunidade da visita.
7. Seja simpático, mas não informal em excesso. Não fale nem pergunte sobre a

    vida pessoal das pessoas e não tente “pescar” informações confidenciais da

    empresa.

Homem sempre elegante e certíssimo.

  • Não tem erro, terno azul-marinho, camisa branca e gravata listrada que tenha, em uma das listras, o marinho.
  • Cor do cinto e a dos sapatos deve ser a mesma. Pode até não ser do mesmo couro, mas tem de ser da mesma cor.
  • As meias, um dilema na vida de muitos homens. O que combina com o quê? Uma dica absoluta: em hipótese alguma, jamais, use qualquer terno com meia branca. Existem combinações infalíveis, como: calça marinho, camisa branca, meias marinho, sapatos e cinto marrons.

 

Acertando no terno

A roupa é parte fundamental na construção da imagem profissional. Se for usar terno, fique atento às dicas abaixo:

  • O nome terno remete a um conjunto de três peças: paletó, colete e calça.
  • A dobradinha calça e paletó, usada no dia-a-dia, é conhecida tradicionalmente como costume
  • O paletó deve cair perfeitamente nos ombros.
  • O paletó deve acabar na altura da perna onde baterem as pontas dos dedos das mãos.
  • A barra da calça deve cair no meio do pé e atrás onde inicia o solado do sapato.
  • Os ternos tradicionais são os de três botões.
  • Os de dois e quatro botões e o clássico jaquetão entram e saem de moda antes que se possa perceber.
  • As cores indicadas são bege, musgo, cinza para o dia, preto, grafite para a noite e azul-marinho para qualquer horário.

 

Gravata certa

A escolha da gravata depende do estilo da pessoa e do seu tipo de trabalho. Alguns preferem as tradicionais, lisas ou com estampas sérias, outros, menos convencionais, gostam de estampas, poás, cores variadas ou personagens de desenho. Use o bom senso e não exagere na informalidade.

  • Uma coisa que não muda nunca na gravata é o comprimento. A ponta deve sempre estar à altura do furo do cinto.
  • Evite a todo custo gravata que vai quase até o cós da calça ou o oposto, que param na altura do estômago – horrível.


Sapatos
                O sapato apesar de ser um acessório essencial no vestuário masculino e feminino, às vezes é negligenciado no uso cotidiano. Não é raro se ver pessoas com um sapato inadequado (em contraste com a roupa que veste) ou o que é pior, com o sapato malcuidado. Aliás, o sapato malcuidado, arranhado ou sujo é, certamente, um fator de péssima recomendação para qualquer pretendente ou ocupante de cargo gerencial ou mesmo técnico.

O sapato adequado não precisa ser caro ou sofisticado, basta não ser flagrantemente destoante da roupa usada e fundamental, deve estar, sobretudo limpo.

Dizem os especialistas no assunto que nenhum sapato, por questões de higiene, deve ser usado dois dias seguidos. Depois de usado, o sapato deve descansar em local arejado no mínimo por um dia. Por isso, é recomendável ter-se, pelo menos, dois pares, se possível de cores e ou modelos diferentes para usar no trabalho.

 

O cartão de visitas

Fundamental no cotidiano de todo profissional, o cartão de visitas costuma ser negligenciado — o que é um erro. O cartão é um item importante da imagem do profissional, pois ajuda a estabelecer um contato mais próximo com seu interlocutor, facilitando o relacionamento e, muitas vezes, viabilizando futuros contatos.

Desculpas como “meu cartão acabou” ou “esqueci no escritório” passam uma imagem de desleixo e falta de profissionalismo. Inspire-se no exemplo dos japoneses e chineses que valorizam tanto essa forma de contato que costumam receber os cartões de visita segurando-os com as duas mãos. Veja algumas dicas para não fazer feio na hora de entregá-lo ou recebê-lo:

  • Em um encontro de negócios, não distribua cartões a torto e a direito. Deve-se entregar apenas a uma pessoa que se acabou de conhecer e que se tenha interesse em contatos futuros.
  • Não dobre a ponta do cartão, é um hábito antigo que caiu em desuso — hoje, aliás, é sinal de deselegância
  • Se alguém entregar seu cartão de visitas, retribua com o mesmo gesto.
  • Ao receber um cartão, leia o que está escrito e se atenha ao nome da pessoa. Nada mais deselegante do que receber um cartão, guardá-lo no bolso sem ler e depois perguntar o nome do interlocutor.
  • Ao falar com um jornalista, dê a ele o seu cartão logo no começo da conversa para que o nome seja mencionado corretamente na matéria a ser publicada.

 

O brinde em várias línguas

Um aperto de mão nos pequenos acordos e estouro de champanhe nas grandes negociações. Em todos os países do mundo, as pessoas comemoram um bom negócio fechado e, nesses tempos de globalização, é bom saber como se brinda nas diferentes culturas:

À la santé: França.

Cheers: Estados Unidos.               
Kâmpai: Japão. 

Kanpei: China.           

Prost: Alemanha.

Salud: Espanha.       

Cin Cin: Itália.           

Ma Zdrowie: Polônia.

Hälsa: Suécia.                         

Nasdorovia: Rússia.                       

Skoal: Países Escandinavos.

L’Chaim: Israel. 

 

Por Nize de Freitas

maio 11, 2010

DICAS PRA VOCÊ ARRASAR SEM MEDO!

Filed under: etiqueta,Looks,Tendência — champagnedascinco @ 3:05 AM
Tags: , , , ,

As tendências da estação contemplam todos os estilos e com as informações certas, uma pitada de bom gosto, um pouco de tempo, dá para usar muitas novidades e andar na moda sem gastar fortunas. Estas e outras dicas para você acertar com classe.

 

Chique

Em tempo de e-mail e toda tecnologia ao alcance da maioria, continua chique, enviar um presente, flores ou mesmo deixar uma mensagem para alguém querido, usando os cartões que fazem jogo com envelopes com forro estampado.

Sofisticação

Fica por conta dos vestidos de forma arquitetônica, cheio de dobraduras, tomara que caia, com manga bem curta ou sem, acima dos joelhos. O toque de modernidade vem com os acessórios – ankle boots cheias de detalhes (botas cano curtinho)  e clutch (bolsa pequena, estruturada, tipo caixa ou carteira em couro liso, croco, metalizado, metal  ou cristal).

O verão acabou, mas as pernas continuam expostas

A  saia tulipa, aquela que tem certo volume no quadril, embeleza as mais magras e com menos quadril. Equilibre o visual com blusa sequinha sob jaqueta de couro, algodão, paetês, algodão e elastano. Finalize o visual com sandálias mais pesadas de salto alto, meia pata e bolsas de formato quadrado.

O estilo militar ressurge no inverno

A inspiração vem dos uniformes militares, com modelagem bem feminina. É a vez dos tons caqui, verde, marrom, ilhoses, corrente e insígnias, que se faz presente nas botas, casacos, jaquetas, vestidos, colares, bolsas e cintos.

 

Pura feminilidade

O xadrezinho vichy azul e branco, floral delicado, cintura alta marcada com cinto de laço tem seu espaço de volta. A saia-lapís combina com peep toe de salto altíssimo e acessório em pérolas delicadas.

Perfume em creme

Prático para levar na bolsa, o perfume sólido tem consistência pastosa e ideal para usar nos dias mais frios. Como tem na fórmula ceras, óleos essências e não contém álcool, derrete na pele nos dias de muito calor. O charme a parte são as embalagens – latinhas vintage redondas. Aromas, de verbena, figo, baunilha, mix de flor.

 

Ousadia nos arranjos florais

Surpreenda na hora de mandar flores. A novidade do momento são os arranjos exóticos compostos de flores e rosas super diferentes e vegetais como alcachofra. Pode ser em forma de arranjo ou até em quadros para parede.

Tecidos sintéticos

Antes era impossível de ser usado, hoje, eles respiram, tornaram mais flexíveis e ainda agregam funções como bactericida,  proteção de raios solares, hidratação da pele e secagem rápida. Tudo de prática para a vida moderna onde tempo vale dinheiro e conforto é o sonho de consumo de todos.

Elegância sem descer do salto alto

Com os saltos cada vez mais nas alturas, já tem estilista lançando modelos que proporcionam maior distribuição do peso do corpo para proteger a coluna e maior equilíbrio.

Ecologicamente correto

Dos casacos às bolsas de falso croco (couro de crocodilo), as imitações de pele estão cada vez mais convincentes e muito bem aceitas.

Beijos,

Nize de Freitas

abril 5, 2010

DICAS DE COMO RECEBER COM SEGURANÇA

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 1:57 PM
Tags: , , , ,

Já fui uma pessoa muito formal, mas aprendi que no mundo atual tudo corre numa velocidade assustadora, por isto temos de facilitar cada vez mais nosso dia-a-dia.

A etiqueta moderna se adapta às mais diversas situações da nossa vida social, familiar e profissional, sem perder, no entanto suas características principais. Receber a família, amigos ou mesmo profissionalmente é uma realidade na vida das pessoas hoje em dia. Algumas dicas para facilitar sua vida.

  • Quando se planeja tudo com antecedência, não há correrias. Receber em casa passa a ser um prazer, que você vai querer repetir mais vezes.

 

  • Os anfitriões devem estar prontos meia hora antes da chegada dos convidados para dar tempo de uma última checada em tudo. Depois é sentar e bebericar um drink, para ajudar a relaxar.

 

  • Os anfitriões devem tomar cuidado pra não se tornarem eles próprios, o centro das atenções. Os personagens principais são os convidados. Assim se a conversa for esfriando, não fique tensa. Faça um comentário ou pergunta que possa interessar a todos e revigorar o papo.

 

  • Numa reunião, aproxime os mais tímidos falando de um tema comum.

 

  • Procure apresentar o maior número de pessoas umas às outras. Faça-o, porém de maneira natural, dando uma indicação para que entabulem uma conversa. Exemplo: “Maria Clara você precisa conhecer o Luis Eduardo. Ele é arquiteto, como você é engenheira, acho que têm algo em comum.

 

  • Se de um casal, um é famoso e o outro nem tanto, dê  a mesma atenção a ambos.

 

  • Quem recebe com freqüência deve ter dois faqueiros: um de inox e outro de prata. Eles atenderão todos os tipos de festas e ocasiões.

 

  • Quem mora em apartamento ou casa de um só banheiro deve retirar objetos de uso pessoal (roupão de banho, perfumaria, remédios, etc) da vista dos convidados. Guarde tudo.

 

  • Dia de festa exige uma bonita toalha de lavabo, outra idéia interessante, é colocar em uma peça várias toalhinhas de mão.

 

  • Deixe rolos de papel higiênico excedentes no banheiro, caixinhas com lenços de papel, alguns tipos de comprimidos e até alguns absorventes em uma caixa fechada, no banheiro ou lavabo. Tudo à mão para seus convidados. Se quiser pode deixar também, batom,  alguns vidrinhos de perfume e não se esqueça de deixar bem à vista das pessoas, um desodorizador de ambiente. Todos ficam muito à vontade.

 

  • É de muito mau gosto palitar os dentes à mesa ou fora dela. Por isso, coloque fio dental no banheiro.

 

  • Na saboneteira, coloque pequenos sabonetes individuais, de diferente formato e cores, ou um grande, novo, cheiroso e bonito.

 

  • Atenção com a música ambiente, gravada ou ao vivo, sempre confere um clima festivo. Selecione um estilo musical de acordo com a proposta de reunião e da faixa etária dos convidados. Se for apenas um  fundo musical, deixe as vozes predominarem sobre a música.

 

  • Não é necessário ter pratos absolutamente iguais. Fica bem interessante misturá-los em harmonia de cores e tonalidades.

 

  • Ao colocar a mesa, os copos ou taças devem ficar de boca para cima.

 

  • É falta de bons modos o convidado virar o prato do seu anfitrião para checar a procedência da porcelana ou detalhes dos cristais.

 

  • É exibicionismo manter os selos nos cristais para mostrar que é cristal verdadeiro.

 

  • Pessoas de bom gosto que conhecem materiais finos os identificam pelo tato e até por um simples olhar.

 

  • Para ocasiões mais formais, as taças devem ter as hastes ou pés mais longos: flûte de champanhe, água, vinho tinto, vinho branco, xerez, Porto, licor.

 

  • Versões semiformais, taça com pé médio e copos sem pé para ocasiões informais: água, suco, refrigerante, cerveja, long-dring.

 

  • Copos, taças e canecas de cerveja e chopp, podem ser levados ao freezer momentos antes de servir para que a bebida se mantenha mais tempo gelada.

 

  • Ao comprar talheres, verifique o equilíbrio. Apóie uma das peças num dedo. Ela deve ficar o mais equilibrada possível.

 

  • Porcelanas com azul cobalto e dourado, são as mais luxuosas e também mais caras. Reserve-as para as ocasiões mais requintadas.

 

  • Galheteiros não vão à mesa formal, ficam reservados para os momentos íntimos em família. Eles podem ser em cerâmica, louça, porcelana, vidro ou cristal.

 

 “A educação de uma pessoa se conhece à mesa: na hora de comer, na hora de jogar, na hora de negociar”. Ditado popular brasileiro.

 

A coluna de hoje, dedicamos a uma pessoa muito especial, Lena Castelo Branco.

Até a próxima,

Nize de Freitas!

março 26, 2010

COMO ANALISAR O TIPO FÍSICO PARA ACERTAR NO VESTUÁRIO

Filed under: etiqueta,Looks — champagnedascinco @ 4:15 AM
Tags: , , ,

Pescoço longo

Use: gola mais alta, cabelos no meio do pescoço, brinco pingente.

Evite: cabelos muito curtos, decote baixo, brincos muito longos.

 

Pescoço curto

Use: decote canoa e gola afastada do pescoço, brincos botão, echarpe e colares longos.

Evite: golas que cubram o pescoço, brincos pingentes longos.

Ombros largos

Use: blusa com manga longa, 2 cm acima do pulso, gola afastada do pescoço.

Evite: ombreiras, roupas com franjas nos ombros, mangas bufantes.

 

Ombros estreitos ou caídos

Use: listras horizontais na parte superior do corpo, decote canoa, mangas com cava pouco abaixo dos ombros (ombros estreitos) ou cava sobre eles (ombros caídos).

 

Seios grandes

Use: bolsos chapados sobre os seios, blusas com fecho frontal de zíper ou botões, colares longos e finos, estampas miúdas na parte superior, casacos, às vezes desabotoados.

Evite: blusas muito justas, babados, lapelas grandes.

Alternativa: sutiã que junte os seios. Separados eles fazem volume lateral e envelhecem a linha do tronco, tornando-a pesada. 

                                                                                          

Barriga

Use: cor escura, blusa folgada sobre o ventre com barra abaixo da barriga, blusa levemente ajustada abaixo da barriga, tubo escuros de corte reto, cós ajustado na cintura.

Evite: roupa justa de cintura marcada, barriga de fora, estampas grandes sobre o ventre, roupa justa de tecido mole, cor clara, blusa por dentro da saia ou da calça.

Quadris grandes

Use: blusas que cubram os quadris com fendas laterais, barra abaixo ou pouco acima, tecidos moles, cor escura, calça com pernas afuniladas.

Evite: pregas e franzidos na cintura, cor clara, roupa muito curta, calça de cor clara com perna afunilada.

Alternativa: blusa e acessórios mais chamativos na parte superior.

Coxas grossas

Use: vestidos, blusa e túnica que cubram a parte superior da coxa.

Evite: abertura frontal, blusa por dentro da calça.

Alternativa: blusas e túnicas com aberturas laterais.

Pés grandes

Use: sapatos cor escura, abertura frontal ou traseira, calça de boca mais larga que cubra os pés.

Evite: sapato de cor clara ou berrante, calçados com modelo extravagante, bico fino.

Alternativa: sapatos com um pouco de salto, bicolor, cor escura ou neutra.

Dica de postura: andar leve, passos menores, cruzar discretamente as pernas.

 Até a próxima,

Nize de Freitas

março 15, 2010

VESTUÁRIO FEMININO NO TRABALHO

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 5:24 PM
Tags: , , ,

A partir da análise e do conhecimento do seu biotipo, aprenda a valorizar e a realçar o que você tem de melhor, bem como disfarçar as suas imperfeições.

  • Decote “V“ alonga o pescoço e a silhueta.
  • Pessoa de baixa estatura deve evitar usar duas peças de cores diferentes ou tecidos com estampas muito grandes. Prefira as calças de perna afunilada.
  • Meias finas claras engrossam as pernas e as escuras afinam.
  • Existem trajes tradicionais, que nunca saem de moda, tipo tailleur, tubinho, a cor bege, preta, marinho, risca de giz.
  • Em funerais, a mulher deve usar traje escuro e evitar exageros de adornos e jóias.
  • Uma roupa menos apertada é sempre mais elegante.

 

USAR

 

  • Roupas limpas e bem passadas.
  • Blazer: indispensável no guarda-roupa, confere sobriedade e pode ser usado com saia, calça ou sobre um vestido tubo. De corte básico, em cor neutra, como preto, marinho, marrom.
  • Saia reta: de corte clássico, o comprimento ideal, três dedos acima ou abaixo dos joelhos.
  • Calça: a “curinga” é a mais simples “sequinha”, de corte reto, com ou sem bolsos. Veste bem tanto as magras quanto as mais gordinhas, já que não marca e é bem confortável.
  • Tailleur: com ele, estará sempre bem vestida (lembre-se, é a versão feminina do terno).
  • Vestido: um tubo é muito confortável. Aproveite para usar estampa discreta, listra ou xadrez. Estampas graúdas engordam e cores muito forte enjoam logo – cuidado com o efeito “perua”.
  • Acessórios: bolsa e sapatos de qualidade, jóias e bijuterias, óculos de grau ou escuros valorizam uma roupa mais simples. Lembre-se, os acessórios devem primar pela discrição.
  • Bolsas e cintos de couro: engraxados com lustra-móveis, já que a graxa mancha as roupas.
  • Unhas: tamanho pequeno para médio, formato quadrado é mais discreto, esmalte de cor clara. Secretária ou recepcionista esqueça as cores pink, preta, café, vermelho berrante, azul, flores decorando as unhas, etc. Os homens devem manter as unhas cortadas e polidas.
  • Mãos: para ambos os sexos, devem ser macias, bem cuidadas. Ninguém gosta de pegar em mão com aspecto de casca de árvore, portanto, creme nelas.
  • Pele do rosto: ambos os sexos, evite o aspecto suarento, principalmente se tem pele oleosa e com espinhas. Lave o rosto ao longo do dia e use produtos para melhorar o aspecto da pele.
  • Cabelos: bem lavados, cheirosos (longos então, nem se fala), presos dependendo da função.
  • Homem: corte baixo, rosto limpo, barba bem feita.

Como analisar o tipo físico para acertar no vestuário

 Pescoço longo

Use: gola mais alta, cabelos no meio do pescoço, brinco pingente.

Evite: cabelos muito curtos, decote baixo, brincos muito longos.

 

Pescoço curto

Use: decote canoa e gola afastada do pescoço, brincos botão, echarpe e colares longos.

Evite: golas que cubram o pescoço, brincos pingentes longos.

Ombros largos

Use: blusa com manga longa, 2 cm acima do pulso, gola afastada do pescoço.

Evite: ombreiras, roupas com franjas nos ombros, mangas bufantes.

 

Ombros estreitos ou caídos

Use: listras horizontais na parte superior do corpo, decote canoa, mangas com cava pouco abaixo dos ombros (ombros estreitos) ou cava sobre eles (ombros caídos).

 

Seios grandes

Use: bolsos chapados sobre os seios, blusas com fecho frontal de zíper ou botões, colares longos e finos, estampas miúdas na parte superior.

Evite: blusas muito justas, babados, lapelas grandes. Alternativa: sutiãs que junte os seios. Separados eles fazem volume lateral e envelhecem a linha do tronco, tornando-a pesada. Use casacos, às vezes desabotoados.

                                                                                          

Barriga

Use: cor escura, blusa folgada sobre o ventre com barra abaixo da barriga, blusa levemente ajustada abaixo da barriga, tubo escuros de corte reto, cós ajustado na cintura.

Evite: roupa justa de cintura marcada, barriga de fora, estampas grandes sobre o ventre, roupa justa de tecido mole, cor clara, blusa por dentro da saia ou da calça.

Quadris grandes

Use: blusas que cubram os quadris com fendas laterais, barra abaixo ou pouco acima, tecidos moles, cor escura, calça com pernas afuniladas.

Evite: pregas e franzidos na cintura, cor clara, micro, calça de cor clara com perna afunilada. Alternativa: blusa e acessórios mais chamativos na parte superior.

Coxas grossas

Use: vestidos, blusa e túnica que cubram a parte superior da coxa.

Evite: abertura frontal, blusa por dentro da calça. Alternativa: blusas, e túnicas com aberturas laterais.

Pés grandes

Use: sapatos cor escura, abertura frontal ou traseira, calça de boca mais larga que cubra os pés.

Evite: sapato de cor clara ou berrante, calçados com modelo extravagante, bico fino. Alternativa: sapatos com um pouco de salto, bicolor, cor escura ou neutra.

Dica de postura: andar leve, passos menores, cruzar discretamente as pernas.

Por Nize de Freitas

fevereiro 24, 2010

ENTREVISTA DE EMPREGO

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 2:47 PM
Tags: , ,

 

 

ARRASE NA ENTREVISTA
            A entrevista é o primeiro encontro entre a empresa e o profissional e são poucas as situações em que o cuidado com a etiqueta e a postura são tão minuciosamente observados, quanto numa entrevista de trabalho.

            A conquista por uma oportunidade de trabalho nem sempre é fácil, daí a importância de levar em consideração todos os requisitos que possam auxiliar na hora de entrevista. Alguns aspectos devem ser levados em conta, como o modo de se portar, postura, como falar diante do entrevistador e o vestuário não fica de fora, é um dos fatores importantes.
            A aparência conquistada pelas roupas escolhidas, demonstra nosso bom gosto ou revela se atendemos às expectativas necessárias para ocupar o cargo. Antes de iniciarmos um diálogo ou nos apresentarmos, já comunicamos visualmente, por meio das roupas. As cores das roupas também influenciam na impressão gerada pelo visual.

A dica básica para se vestir para uma entrevista de trabalho é, elegância e simplicidade. Estar arrumado e bem vestido de maneira discreta e confortável é o grande segredo.

O que não usar numa entrevista

  • Pasta de elástico com o currículo, no lugar use uma pasta-portfólio.
  • Óculos de sol no alto da cabeça ou fones de ouvido no pescoço.
    • Guarde qualquer aparelho que esteja usando. Não há necessidade de levar na entrevista celular, bip ou pager. Se for indispensável, mantenha-os desligados.
    • Roupas coloridas ou brilhantes.
      • Roupas largas ou apertadas demais. Considere como um investimento pessoal comprar uma boa roupa para as entrevistas.
      • Sapato inadequado – sujo, sem engraxar, muito gasto, salto fino altíssimo, tênis, sandálias ou qualquer tipo de sapato aberto.
      • Não exagere na loção pós-barba, perfume ou colônia.
        • Cuidado com roupa nova, retire todas as etiquetas e lembre-se de cortar o alinhavo que mantém os bolsos do paletó fechados.
        • Evite piercings, tatuagens visíveis e boné.
        • Roupa amassada ou suada. 

Faça certo

 

  • A primeira providência é chegar ao encontro com 15 ou 20 minutos de antecedência, para se acalmar e rever a aparência no banheiro.
  • Se atrasar, telefone logo que puder para o entrevistador. A explicação deve ser breve e acompanhada de um pedido de desculpas.
  • Ao entrar na sala de seleção, permaneça em pé até que lhe convide a sentar.
    • Na hora dos cumprimentos, faça contato visual, sorria, dê um aperto de mão firme e deixe seu interlocutor dar início à conversa.
    • Para se sentir mais à vontade, acomode-se bem para trás na cadeira e fique numa posição ereta, mais relaxada.
    • Não fique balançando o pé, nem passe a mão no rosto ou cabelo a todo o momento.
    • Postura é importante, seja discreto, educado e jamais demonstre excesso de intimidade com o entrevistador.
    • Pega mal tocar em assuntos relacionados a dinheiro até que todos os aspectos referentes ao trabalho tenham sido discutidos.
    • Ao se despedir, agradeça que o tenha recebido, e se for o caso, pergunte quando deve esperar notícias.

 

Para as mulheres 

  • Discrição é fundamental.
    • Escolha roupas de cores clássicas, como azul-marinho liso ou risca de giz, preto, café ou bege.
    • Nada de mini-saia, decote exagerado, transparências ou roupas muito justas.
      • Terninho, tailleur ou calça-comprida acompanhada de blazer também é adequado. 
      • Bijuterias ou jóias discretas e de bom gosto.
      • Maquiagem natural e discreta. 
      • Perfume suave.
        • Unhas bem cuidadas, curtas, esmalte claro e cabelos arrumados. Se forem compridos, é preferível prendê-los. 
        • Escolha um sapato fechado, com salto de altura média. Esqueça as sapatilhas, sandálias e os sapatos de salto fino, muito altos e que faça barulho.

 

Dicas que fazem a diferença para mulheres

  • Quadril largo – use colar ou lenço para chamar a atenção para a parte de cima.
  • Pernas grossas – prefira roupas mais escuras.
  • Pernas finas – use calça de cor clara e evite calças justas.
  • Busto grande – use blusa mais solta, blazer de gola fina, sem muitos botões.
    • Pouca estatura – não use roupa com detalhes horizontais de uma só cor. Escolha sapatos leves e delicados, nada de saltos exagerados.
    • Mais gordinhas – prefira calça de corte reto e blazer na altura dos quadris. Evite ombreiras, bolsos grandes próximos aos seios. Use listras verticais e as cores escuras disfarçam o excesso de peso.

 

Para os homens 

  • Para cargos de diretoria e gerência, deve-se vestir terno de cor sóbria e elegante. 
  • Para cargos de chefia e supervisão, pode-se vestir blazer (vale a regra de sobriedade e elegância). 
  • Prefira as camisas de cor clara, em caso de dúvida, opte pelo branco.
  • Use gravatas tradicionais, nada de estampas e cores extravagantes. 
  • Cabelo arrumado, barba bem feita, unhas limpas e cortadas.
  • Evite brincos, correntes e pulseiras, use apenas relógio e aliança. 
  • O perfume deve ser discreto.
  • Evitar calças curtas, meias de cor diferente dos sapatos, colarinhos abertos.

 

Dicas que fazem a diferença para homens

  • Terno – deixe o último botão aberto.
  • Calça – a barra deve chegar até a metade da altura do calcanhar do sapato.
  • Meias – devem ser longas e combinar com os sapatos.

Por Nize de Freitas

fevereiro 11, 2010

ETIQUETA JAPONESA

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 6:26 PM
Tags: , , ,

O Japão está na moda e a comida japonesa mais ainda. Se quiser degustar um sushi nos bons restaurantes japoneses ou viajar pela Ásia, saiba um pouco sobre a forma de se portar, para não atropelar a Etiqueta e se sentir deslocado de todo o ambiente à sua volta.

  • Evite entrar com sapatos, em casa de japoneses, alguns restaurantes e hotéis  mais tradicionais, os chamados ryokans, à porta estarão chinelos variados.

 

  • Evite expressar uma opinião de forma direta, pois os japoneses têm aquilo a que chamam de honnetatemae (opinião pública). Eles preferem a harmonia do grupo em vez de opinarem sobre algo de forma efusiva.

 

  • Não aponte o dedo, pés ou hashis (palitos de comer) para pessoas. Se tiver que apontar algo, movimente os dedos com a palma para baixo.

 

  • Não se assoe o nariz na frente de outras pessoas e evite usar lenços de tecido. Nos países asiáticos o lenço de papel é que é considerado mais higiênico.

 

  • Evite comer de pé ou andando pela rua. A comida precisa ser saboreada com calma, por isso os japoneses não percebem o porquê da pressa.

 

  • Não os interrompa, nem se preocupe com os intervalos de silêncio. A cultura japonesa aprecia esses momentos.

 

  • Evite olhar fixamente para alguém, seja mulher ou homem.

 

  • Se der presente em dinheiro num casamento (é muito comum no Japão) não dê um número par, eles acreditam que se o número for divisível por dois, o casal pode se separar.

 

  • Os japoneses se lavam antes de entrar na banheira, uma vez que eles têm o hábito de compartilhar a água – bem quente – do banho com outras pessoas. Isso se aplica em banhos públicos, termas, bem como em banhos em casa. Não suje a água do banho e não esvazie a banheira depois de sair dela.

 

  • Não enfie os seus palitos verticalmente numa tigela de arroz nem passe comida para outra pessoa com os mesmos.

 

  • Num happy hour com amigos  e colegas de trabalho em um bar japonês, nunca se sirva antes de encher o copo dos seus amigos primeiro. Se não quiser mais beber, não esvazie seu copo.

 

  • Os japoneses têm o hábito de tomar sopa fazendo barulho e  não é considerado falta de educação. Ao contrário da Etiqueta ocidental, sopas e macarrão podem e devem ser chupados das tigelas. Aliás, pratos e tigelas devem ser trazidos à boca, ao invés de se deixar pender a cabeça sobre os mesmos.

 

  • Não se deve, enfiar os hashi dentro da tigela ou prato de arroz. Pode passar a impressão que a pessoa não gostou do que foi servido ou que comida não está boa, isso pode até ofender os japoneses.

 

  • Também é permitido que alguns alimentos sejam saboreados sem o uso de utensílios. Sushimans mais experientes do Japão e no Brasil aceitam que você coma com a mão para não desfazer o sushi na hora que se pega com o hashi.

 

  • A dosagem de shoyu deve ser usado moderadamente para não atrapalhar o sabor do peixe. O sushiman coloca a porção ideal de shoyu. Os ocidentais têm o costume de comer o molho de soja com o sashimi, em vez de o sushiman dar esse toque em todos os sushis.

Por Nize de Freitas

fevereiro 3, 2010

Vocë sabe comer fruta?

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 1:53 AM
Tags: , , ,

Comer determinadas frutas em ambientes que exijam certa formalidade gera insegurança em muitas pessoas. Normalmente este serviço é encontrado em restaurante de navios, café de hotel, coffe-break  ou como sobremesa em algumas ocasiões. Na maioria dos eventos as frutas são apresentadas descascadas e cortadas ou compondo algum prato.O treinamento quanto ao uso dos talheres nesta ocasião é fundamental para adquirir destreza.

Abacate
Algumas vezes é servido como entrada, em forma de salada. Como fruta é servido em taças na forma de creme, podendo ser adicionado uma colher de licor de cacau e come-se com uma colher de sobremesa.Partido ao meio e pulverizado com açúcar, só na intimidade.

Ameixas
As pequenas são comidas como cerejas, as grandes são cortadas em duas partes, usando-se garfo e faca e não se descascam.

Abacaxi
Deve ser servido descascado e cortado em fatias inteiras e come-se espetando cada pedaço com o garfo, cortando com a faca de sobremesa e levando à boca com o garfo. Servido à maneira tropical o abacaxi vem cortado em cubos e é servido dentro da própria casca. Come-se com o garfo para espetar a polpa e a colher para tomar o suco.

 

Banana
Firmar a banana com o garfo e fazer um corte no comprimento da casca afastando-a e deixando a polpa à mostra. Com garfo corta-se a fruta em rodelas, que são levadas à boca, à medida que são cortadas, não se usa a faca para cortar a fruta.


Caqui e fruta do conde

Com a faca de sobremesa parte-se a fruta ao meio. As bagas são comidas com a colher, depositando os caroços na borda esquerda do prato. Ao devolver o caroço à colher, faz-se um anteparo com a mão. 

Cereja
Segura-se pelo cabo e leva à boca, o caroço é retirado discretamente com a mão em concha e colocado no canto do prato de sobremesa. Ao servir cerejas, num ambiente formal, a lavanda é obrigatória.

Figo
Figo fresco come-se aparando as extremidades espetando a fruta com o garfo na mão esquerda e partindo-o com a mão direita em duas ou quatro partes com a faca. Pode vir à mesa descascado, acompanhado de creme de leite ou calda, sendo assim usa-se o garfo para espetar e a colher de sobremesa para cortar e tomar o caldo. É sempre mais prático comer com dois talheres, usando o garfo para levar o figo à boca e a colher para auxiliar a partir-lo em pedaços menores.

Frutas em compota

É essencial o garfo e a colher para comer as frutas em compota. Deve-se firmar a fruta com o garfo na mão esquerda e cortá-la com a colher na mão direita. A colher também é usada para tomar o caldo e ajudar o garfo a pegar os pedaços.

Laranja
Deve vir descascada e cortada, come-se firmando o pedaço com o garfo com a mão esquerda, cortando com a faca na mão direita e levando à boca com o garfo na mão esquerda.

Se vier inteira, segure a laranja com a mão esquerda, com a faca corta-se uma rodela da casca na parte superior e outra na inferior. Com o garfo espetado no topo da fruta descasca-se em toda a volta da polpa no sentido vertical. Comem-se os pedaços com o garfo à medida que forem sendo cortados. As sementes são devolvidas ao prato o mais discretamente possível. A laranja só é servida com casca em eventos informais.

 

Maçã, goiaba e pêra

Espeta-se o garfo na parte superior da fruta e parta em quatro partes. Para descascar, vire o pedaço da fruta com a polpa para baixo, firme com o garfo na mão esquerda espetado numa extremidade. Comece a cortar com a faca na mão direita no outro extremo, retirando tiras de casca, que devem ser colocadas no lado do prato. Este processo servirá para as outras partes da fruta.

Mamão
O pequeno é cortado ao meio e comido com a colher.

O mamão comum é servido descascado e cortado em fatias, no sentido do comprimento e parte-se em pedaços pequenos com o uso do garfo e da faca.
Melão e melancia

Os melões redondos menores são servidos cortados ao meio no sentido da altura e comidos com colher de sobremesa.

Os maiores e melancias são servidos com a casca em fatias. Come-se espetando o pedaço com o garfo e cortado com a faca.

Morango
São servidos em taças, acompanhados de creme chantilly. Para comê-los, use a colher. Se forem muito grandes podem ser servidos com o talo e a folha. Podem ser passados no açúcar ou no creme e são comidos com a mão, seguros pelo cabinho.
Pêssego
Descasca-se com a faca e cortam-se os pedaços em torno do caroço com a ajuda do garfo e da faca.

Uva
São servidas em cachos, acompanhados de uma tesoura especial. O correto é comer as uvas com a casca e as sementes ou recolhe-las com a mão esquerda fechada, e depositar no canto do prato.

Por Nize de Freitas

janeiro 19, 2010

GLOSSÁRIO DA GASTRONOMIA

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 5:44 AM
Tags: , ,

Para você se sentir mais seguro nas mais diversas situações. Boa parte dos termos selecionados dizem respeito à gastronomia. São expressões universais, muito usadas em restaurantes.

Importante ter uma noção do que quer dizer certas palavras, o que vai ajudá-lo não só a sair de algum impasse como também a aproveitar melhor a refeição. Como tudo na vida, um pouco de frescura em pequenas doses, faz bem sim.

Antepasto (antipasti)são os pratos servidos como entrada ou aperitivo, antes da refeição principal (termo italiano).

Alla Marinara – molho de tomate, alho, azeite, vinho e ervas.

Alla Puttanesca – molho a base de tomates, alho, azeitonas, alcaparras e cheiro-verde.

Alla Carbonara – molho a base de ovos e bacon.

Alla Fiorentina – em geral usado para pratos acompanhados de creme de espinafre.

Allumette – batatas fritas cortadas fininhas como palitos de fósforos (allumette – francês).

Amaretto – licor de amêndoas.

Appelations controlées – são as leis que regulamentam a fabricação e consequentemente a qualidade dos vinhos franceses.

Armagnac – espécie de conhaque produzido na região de Armagnac na Franca, e considerado um dos melhores aguardentes de vinho do mundo.

Brie – o mais antigo queijo francês. É cremoso, suave e com leve sabor de nozes.

Béchamel – molho preparado à base de farinha de trigo, leite e manteiga, mais conhecido por molho branco.

Benédictine – licor criado pelos monges beneditinos cuja fórmula até hoje é mantida em segredo. É um dos licores mais antigos do mundo.

Brandy – palavra usada para designar bebidas alcoólicas destiladas de vinho ou frutas.

Barolo – vinho da região do Piemonte, na Itália, um dos melhores vinhos italianos.

Blinis – panquequinha feita com farinha e ovos, frita, que acompanha o caviar.

Bruschetta – prato italiano, que consiste em uma fatia de pão, na qual se esfrega um dente de alho e se despeja um fio de azeite antes de tostar no forno.  Pode ter outras coberturas

Brunch – mistura de breakfast (café da manha) com lunch (almoço). É o nome que se da a esta refeição feita entre dez da manha e três da tarde, misturando pratos usados nestes dois tipos de refeição.

Brodo – quer dizer “caldo” em italiano. O brodo italiano é obtido através do cozimento de carnes, legumes, e apurado com vinho branco.

Brut – palavra usada para designar champagnes e vinhos espumantes bem secos.

Bourgogne – região vinícola da Franca.

Blend – palavra inglesa que quer dizer “mistura, combinação”. Normalmente é empregada referindo-se ao uísque.

Bourbon – uísque de milho, centeio e cevada produzido nos Estados Unidos.

Bouillabaisse – sopa de peixes e frutos do mar. Especialidade de Marselha, na Franca.

Buffet froid – bufe de pratos frios, onde os próprios convidados servem-se, escolhendo o que vão comer.

Cabernet Franc – uva nobre originária da Franca, que se adaptou melhor ao clima e as terras da América do Sul.

Cabernet Sauvignon – cepa da uva com a qual são produzidos os vinhos tintos da região de Bordeaux.

Champagne – vinho produzido na Franca, na região de Champagne. É espumante e pode ser encontrado nos tipos, brut (seco) e demi-sec (meio seco).

Chablis – região da Borgonha onde são produzidos vinhos brancos secos.

Chianti – vinho italiano da região da Toscana, na Itália.

Clarete – vinho tinto muito claro, às vezes confundido com o rosé, pela sua cor.

Chambrer – vinho tinto adaptado à temperatura ambiente de uma a duas horas antes de ser servido. Basta abrir e deixar respirar.

Crus – classificação que se da aos melhores vinhos franceses.

Cherry Brandy – licor feito de cerejas, aguardente de cerejas, ervas e açúcar. Um dos licores mais populares seja qual for a marca.

Creme de Cassis – licor de groselhas pretas, misturado com vinho branco ou champagne, num aperitivo denominado respectivamente kir ou kir royal.

Carrê – termo francês que indica a parte das costelas de carneiro, porco ou vitela situada entre o pescoço e o lombo.

Carpaccio – prato internacional serve como entrada ou refeição leve. Feito com fatias bem finas de carne crua de boi, de peixe ou de outro tipo, servidas com molho de azeite, limão, salsa, mostarda e alcaparras, polvilhadas com finas tiras de queijo parmesão.

Chateaubriand – filé mignon, de mais ou menos 500gr, bem-passado por fora e quase cru por dentro. O file é frito na manteiga e servido com vinho tinto e champignons.

Coquilles Saint-Jacques – famoso prato francês, servido como antepasto. É preparado com vieiras, creme, champignons e levado ao forno para gratinar.

Cheddar – queijo macio, alaranjado, originário da Inglaterra. Ideal para aperitivos e fondues.

Chester – chester também é o nome de um queijo gordo de origem inglesa.

Calzone – pizza fechada, geralmente recheada com verduras ou ricota.

Consommé – caldo de carne, peixe, frango ou vegetais, temperado, coado e clarificado, servido como entrada, quente ou frio.

Cassoulet – feijoada com feijao-branco. Prato francês que mistura ainda as carnes de vaca, galinha, ganso e carneiro.

Croûtons – cubinhos de pão torrado na manteiga ou azeite, que acompanham as sopas, podendo também ser servidos misturados nas saladas.

Chutney – tipo de geléia de frutas, especialmente manga, aromatizada com especiarias e servida em todas as refeições, de norte a sul da Índia. Também usado em vários pratos de outras cozinhas espalhadas pelo mundo.

Desseri – quer dizer “sobremesa” em francês, mas é usada em cardápios em outras línguas.

Drambuie – licor feito com malte de uísque e mel silvestre.

Dubonnett – aperitivo francês ligeiramente amargo, feito de vinho, quinino e bitter.

Escargot – caracol comestível.

Escalope – file mignon ou vitela, cortado em pequenas e finíssimas fatias. Pode ser chamado também de scallopini.

Emmenthal – queijo suíço gorduroso e muito consistente.

Frangélico – licor de origem italiana, muito leve, feito de avelãs silvestres, frutos e flores, suavemente perfumado.

Faiança – tipo de louca mais requintada.

Focaccia – tipo de pão feito com farinha de trigo, azeite e sal, muito comum na região de Gênova, também conhecido como pizza alla genovesse.

Haddock – peixe da família do bacalhau, encontrado no Brasil somente defumado, preparado cozido no leite e servido com manteiga fresca. Pode-se preparar também de outras maneiras.

Hors-d´oeuvre – termo francês que indica entradas leves ou pequenas iguarias servidas antes da refeição.

Gaspacho – sopa espanhola fria, feita com tomates e outros legumes crus.

Galantine – é uma iguaria típica da culinária da França e também de Portugal. Prato frio feito com carne de frango ou outra ave, desfiada e enformado com gelatina feita do caldo da própria ave.

Gouda – queijo holandês, macio, suave e todo furadinho.

Gruyère – considerado o “rei dos queijos” pelos suíços. É consistente, levemente picante e cai muito bem para fondue.

Grand-Marnier – licor francês feito de laranjas.

Grappa – aguardente de uvas produzido na Itália, tão popular quanto a nossa cachaça aqui. E consumida como digestivo, após as refeições.

Madeira – vinho produzido na Ilha da Madeira (Portugal) com aguardente de cana e envelhecido em tonéis de carvalho.

Malossol – caviar russo, considerado de primeira qualidade.

Existe três tamanhos: sevruga (pequeno), ossetra (médio) e beluga (grande).

Médaillon – pedaços de file cortados em formato arredondado de medalhas.

Minestrone – sopa de legumes e caldo de feijão, de origem italiana.

Maraschino – licor de cerejas, bem doce.

Martini (o vermute) – fabricado na Itália e Brasil nas versões tinto, branco, doce ou seco.

Martini (o coquetel) – coquetel clássico com vermute seco, gim, angustura e enfeitado com uma azeitona verde.

Mirin – vinho japonês feito de arroz.

Missô shiru – caldo de peixe com legumes e soja fermentada. Em restaurantes japoneses é servido como digestivo.

Molho tártaro – molho picante com ovos, azeite, picles, mostarda e vinagre.

Mouton – carneiro em francês.

Nori – folha de alga-marinha onde vem enrolados os sushis.

Oshibore – toalhinha quente e úmida apresentada nos restaurantes japoneses para limpar as mãos antes da refeição.

Ossobuco – corte transversal do músculo da perna traseira do boi, incluindo o osso. Com este músculo é feito um ensopado do mesmo nome, na Itália.

Ouzo – aguardente de uvas feita na Grécia e aromatizado com aniz.

Pastrame – carne de boi curada e defumada, servida fria.

Pastis – aperitivo a base de aniz, tomado puro ou com água e gelo.

Pecorino – queijo italiano, feito com leite de ovelha, de sabor salgado e picante.

Placement – plano de mesa

Peach Melba – pêssegos servidos com calda, licor e sorvete.

Profiteroles – “bombinhas” servidas recheadas com creme, sorvete e calda de chocolate.

Petit-four – biscoitos pequenos, recheados, geralmente servidos para acompanhar chá ou cafezinho.

Pot-au-feu – é um tradicional cozido francês temperado com ervas aromáticas, que pode ser servido de duas formas, como sopa ou prato principal.

Poire – aguardente de peras.

Quiche Lorraneprato típico da França, preparado com uma massa que cobre o fundo e lateral da forma onde é preparado, recheado com uma mistura de ovos, creme de leite, sal, pimenta-do-reino, noz-moscada, bacon defumado, cebola, cenoura, presunto, champignon e outros.

Quenelles – espécie de nhoque francês bem temperado.

Retrogosto – é o gosto que fica na boca depois que se toma o vinho. Segundo os conhecedores de vinho, quanto mais durar esse gosto, melhor o vinho.

Rossini – filé sobre pedacinhos de pão (croûtons), com uma fatia de foie gras (patê de fígado de ganso), algumas fatias de trufa e vinho Madeira.

Saltimbocca – especialidade da culinária italiana. Escalopes com presunto acompanhado de purê de batata e temperado com sálvia.

Sorbet – sorvete leve, feito à base de suco de fruta mais ácida e açúcar.

Sambuca – licor italiano feito com aniz e sabugueiro.

Sangria – bebida muito popular na Espanha, feita com frutas picadas, vinho tinto, gelo, açúcar e servida  em jarras.

Schnapps – aguardente forte de cereais originário dos países nórdicos.

Samovar – chaleira grande usada na Rússia para preparar e servir o chá.

Smorgasbord – bufe frio com pratos típicos dos paises nórdicos, com muitos peixes, frutos do mar e embutidos.

Sukiaki – prato quente japonês com carne e legumes cozidos com saquê.

Sushi – peixes crus ou frutos do mar enrolados em bolinhos de arroz, que por sua vez são enrolados em folhas finíssimas de algas marinhas.

Savoir faire – em francês quer dizer “saber fazer”, aplicado às pessoas que sabem contornar situações com graça e desenvoltura.

Shiitake – cogumelo marrom-escuro, fresco, é usado em sopas, pratos cozidos no vapor e pratos preparados à mesa. Quando seco é usado no arroz.

Salada Waldorf – salada de cubos de maçã verde, hastes de aipo, nozes, temperados com limão, molho maionese e nata. Esta salada foi criada no famoso hotel Waldorf Astoria, em Nova Iorque.

Steak – palavra inglesa que quer dizer bife.

Tartelette – pequena torta, servida aberta e recheada com salgados ou doces.

Tournedos – fatia de filé mignon servida sautée ou grelhada.

Tofu – queijo de soja com a mesma consistência do queijo minas.

Tiramisú – espécie de pavê coberto com mascarpone (queijo italiano cremoso) e chocolate meio amargo.

Tia Maria – licor de café originário da Jamaica.

Trufas – tipo de cogumelo tão raro quanto caro, muito perfumado, encontrado na região do Piemonte, na Itália e em algumas regiões da Franca.

Tête à tête – encontro a dois, não necessariamente romântico.

Vol-au-vent – de origem francesa, massa folhada em formato de cestinhas. Depois de assadas, são recheadas com misturas cremosas, geralmente salgadas.

Wassabi – é como os japoneses chamam a pasta de raiz-forte.

Xerez – vinho fortificado, licoroso, usado na sobremesa, assim denominado por ser produzido em Jerez de la Frontera na Espanha. Na Inglaterra é conhecido como sherry.

Zampone – é um tipo de embutido, feito com pé de porco recheado.

Zabaione – creme servido quente, feito com gemas de ovos, açúcar e vinho marsala.

Sem passar vergonha na hora de comer!

Por Nize de Freitas

janeiro 4, 2010

ESCARGOT

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 8:07 PM
Tags: , ,

Moluscos com a concha enrolada em espiral, que pertencem ao gênero Helix (de onde vêm hélice e helicóptero), porque seu corpo faz uma torção de 180º. Daí, a sua criação é denominada helicicultura e quem cria é um helicicultor.

 

Cercado de preconceitos e desinformação o escargot atravessa a História juntamente com os homens. Sua carne é uma das iguarias mais apreciadas da cozinha francesa e seu consumo se espalhou pelo mundo como sinônimo de requinte. Carne magra, de baixo teor calórico e de sabor típico, considerada por muitos, melhor do que as ostras.

 

Sua carne é de primeira qualidade, muito apetitosa e bastante consumida na Europa e no Oriente. O consumo no Brasil é pequeno – média de 30 toneladas/ano, já na França, chega a 40.000 toneladas/ano.

 

Os caracóis são essencialmente vegetarianos, comem couve, alface, mostarda, frutos como mamão,  banana, maçã e melancia. Considerados como animais vorazes, pois comem grande quantidade de alimentos em 24 horas, chegando a atingir até 40% do seu peso vivo.  Eles não comem nada nos dias quentes e secos, cinco dias antes de entrarem em hibernação e cinco a quinze  dias antes de morrerem.

 

Existem mais de 4.000 espécies, porém as principais espécies comestíveis são:

 

Escargot Gros Blanc (grande branco)   escargot de Bourgogne ou caracol dos vinhedos. De tamanho médio, 4,5 a 5,5 cm de diâmetro, é oriunda dos Alpes, França, Suécia, Itália, Rússia e Inglaterra. Pela excelência e abundância de carne, já que pesa entre 25 e 45gr, é a espécie mais conhecida e mais procurada no mercado internacional. Sua existência na natureza, encontra-se em franca regressão nas regiões das quais é oriundo, devido às capturas excessivas e ao uso intensivo de agrotóxicos no campo.

 

Escargot Africanoconhecido por chinês, é o maior escargot terrestre, podendo atingir de 15 a 20 cm de comprimento e mais de 200gr, entretanto, é abatido com 15 a 20gr, por exigência do mercado. Nativo no leste da África é bastante importado pela França. No Brasil, a espécie foi introduzida em 1988, visando o cultivo e comercialização. Sem muito sucesso comercial, os plantéis foram abandonados e proliferaram por todo o país de tal forma que se tornou uma praga para a agricultura. Desde 1995, sua criação e comercialização estão proibidas no país.

  

Escargot Petit Gris caracol de jardim, de coloração cinza amarelada, estriada de negro, daí o seu nome Petit gris (pequeno cinza), com diâmetro de 3 a 4,5 cm e peso entre 5 e 15gr. Oriundo do Mediterrâneo e Europa foi introduzido na América, Austrália e África do Sul. Rústico e prolífero, engorda em 120 dias, é uma das espécies mais adaptadas ao cativeiro. Para se obter 1kg de carne, são necessários de 200 a 250 caracóis de bom tamanho.

             

Escargot Gross Gris (cinza grande)o gigante da Argélia, com 4,5 cm de diâmetro, pesa de 20 a 40gr e sua concha é geralmente clara, possuindo ou não as faixas.
Em criadouros climatizados, é a espécie de  crescimento mais rápido. Originário da África do Norte é atualmente o mais produzido na França.

             

Escargot turco ou dos bosques a concha, em geral, é muito escura, seu hábitat natural é a Turquia, mas é encontrado também, na Rússia, Romênia e Itália. A concha tem diâmetro de 4 a 5 cm e com um ano pesa 20gr.

              

Strophocheilus ovatus, encontrado no litoral paranaense, alcança grandes dimensões, também são comestíveis, porém, sua carne tem consistência muito rija.

 

O Petit gris e o Gross gris, por serem consumidos com as vísceras, necessitam fazer jejum de três a quatro dias antes do abate. Durante esse período, alguns criadores fornecer apenas água e vinho branco, outros, ervas aromáticas, como agrião, salsa e cebolinha durante três dias e apenas água no último dia.

 

Após o jejum, são mergulhados numa vasilha com água, vinagre e sal para eliminarem a baba. Em seguida, são lavados em água corrente e colocados em água fervente, com fogo brando. Na água, pode-se acrescentar vinho branco, cebola e cravo-da-índia. Após ligeiro cozimento, escorrem-se os escargots e retira-se a carne com o auxílio de um palito. As carnes estão prontas para serem utilizadas em receitas ou congeladas.

 

No Brasil, o escargot ainda é pouco consumido, sobretudo por ser muito caro e por não termos tradição de consumo desse molusco. Em geral, os escargots comercializados aqui são importados, vêm em latas, apenas com a carne do escargot e são colocados dentro do próprio caracol para o preparo.

 

É possível adquirir o escargot fresco e vivo. Comer escargots é uma questão de vencer preconceitos e de ter informações corretas sobre as propriedades alimentícias de sua carne e as formas de prepará-la. Existem muitas receitas que utilizam o escargot (omeletes, quiches), mas a mais tradicional forma de degustar essa deliciosa iguaria é com manteiga aromatizada.

 

Prepare um molho à base de alho, manteiga, salsa, noz-moscada e ervas aromáticas como tomilho, estragão, segurelha e outras. Coloque um pouco do molho dentro da concha antes de inserir a carne do escargot, depois, cubra com mais molho de manteiga. A seguir, arrume-os com a boca para cima em um prato refratário especial, com pequenas cavidades próprias para acomodar o escargot. Se o caracol vazio não for encontrado, pode-se acomodar a carne do escargot e o molho em cogumelos grandes, com o talo cortado, virados com a parte côncava para cima. Ponha no forno bem quente e depois de 7 minutos servir.

 

Para comê-lo, há talheres especiais, pequena pinça na mão esquerda segura o caracol enquanto a carne é retirada com um garfo de dois dentes curvos de dentro da concha, em seguida, mergulhe na manteiga derretida e coma. A quantidade mínima por pessoa é de meia dúzia. Acompanha pão branco (a tradição francesa manda limpar o molho do prato com o pão) e o vinho tinto, mais apropriado para acompanhar um molho tão aromático.

 

Em todas as partes do mundo, a comercialização da carne de escargot está intimamente ligada à sua qualidade, e a qualidade, por sua vez, está ligada à técnica de criação adotada, à qualidade das matrizes utilizadas, que deverão ser rigorosamente selecionadas e ainda à correta forma de abate da produção.

  

Curiosidade O escargot, nos climas frios, entra em hibernação, quando a temperatura fica abaixo 10ºC. Antes de se remover à sua concha, faz uma purga, isto é, esvazia totalmente seu intestino. Somente depois disso é que entra para a concha e depois faz a operculação (vedação da concha). É por isso que os escargots operculados têm maior garantia de qualidade, a mesma dos animais que jejuam antes do abate.

 

Por Nize de Freitas

Feliz 2010!!!

dezembro 26, 2009

CAVIAR: LUXO PARA POUCOS, DESEJADA POR MUITOS E DESCONHECIDA PELA MAIORIA

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 4:05 PM
Tags: , ,

Tradicionalmente a palavra “caviar” é utilizada apenas para as ovas de esturjão do Mar Cáspio oriundas da Rússia ou IrãCaviar Beluga, Osetra e Sevruga. A qualidade dessas ovas (sabor, tamanho, consistência e cor) atingiram em 2009, preços de 6.000€ a 12.000€ o quilo.

Caviar de qualidade é como o vinho – cheio de nuances e entonações. Deve gosto de mar, mas, como peixe fresco, não deve ter cheiro forte de peixe (meio passado). Outros sinais de que não é fresco é ser muito salgado ou muito seco.

Os principais tipos de caviar provêm do Mar Cáspio -Rússia a Irã:

Caviar Beluga de sabor mais suave e delicado, é o mais raro e caro, com ovas maiores, variando entre cinza-escuro (quase preto) e o cinza claro.Quanto maiores e mais claras as ovas, mais valioso.Classifica-se o beluga em:

  • Primeiro escalão (grade one), com ovas maiores e nas categorias cinza escuro, cinza médio, cinza claro (mais caro).
  • Segundo escalão (grade two), ovas menores variando do cinza médio ao claro.

Ovas cor de pérola, retirado de esturjões beluga centenários é o mais raro e caro dos caviar, podendo atingir  20.000€ e 40.000€ o quilo e muitas vezes vendido em latas de ouro.

Caviar Osetra, de paladar suave, ovas médias e cor entre o cinza escuro e o castanho dourado, costuma ser classificado em:

  • Royal ou Imperial, o mais raro e caro com a cor ambâr dourado.
  • Primeiro escalão (grade one), cinza claro com toques de ambâr.
  • Segundo escalão (grade two), cinza escuro.

 

Caviar Sevruga tem as menores ovas, cor entre o cinza escuro e claro, com sabor  mais forte.Classifica-se em:

  • Primeiro escalão (grade one), ovas maiores cinza escuro a claro.
  • Segundo escalão (grade two), ovas pequenas cinza escuro.

 

O esturjão é o maior peixe de água salgada do mundo depois  do tubarão-baleia, podendo chegar a 6 metros de comprimento e suas ovas,  representam 15 a 18% do seu peso.  Para dar ovas, um esturjão beluga leva de 18 a 20 anos, o osetra de 10 a 12 e o sevruga de 5 a 7 anos. O esturjão beluga chega a pesar mil quilos e deve ser capturado corretamente para que a adrenalina não inunde o organismo do peixe, comprometendo a qualidade das ovas. Do barco até a loja, a temperatura (4 a 0 graus) e o sal adicionado (3%) precisam ser mantidos rigorosamente.
“Malossol” em russo, quer dizer pouco sal. Todo caviar que é fresco e não pasteurizado é malossol, ou seja, mantido com 3% de sal. O caviar “Malossol sevruga” se destaca pelo seu grão fino e de casca tenra.

O caviar de salmão “Kosher” é selecionado ova a ova. Ideal para ser servido quente ou frio, pois é único no mundo que possui corante vegetal e selo “Kosher” O padão de qualidade é muito valorizado e se assemelha ao Malossol das águas geladas do Mar Cáspio.

 

Hoje o caviar do Cáspio é produzido principalmente pelo Irã e Rússia  e em menor quantidade, pelo Azerbeijão e Cazaquistão.

 

Como servir caviar e o que beber

Caviar é para degustar e deve ser servido numa taça sobre gelo, acompanhado de blinnis (um tipo de panqueca) como aperitivo ou entrada. Em jantar formal, servir em pequenos pratos individuais ou ramequins (pequenos arranjos de massa folhada preparados com o caviar), se possível, colocados sobre um berço de gelo picado.
A colher de prata deve ser evitada, já que seu uso altera o sabor do caviar. Melhor são as colheres feitas de chifre, madrepérola ou ouro. Especialistas em caviar vendem essas colheres em uma grande variedade de formas, tamanhos e estilos.

Para acompanhar vodka super gelada, servida em pequenos e congelados copos. Para uma  combinação balanceada, sirva  cerveja. Esqueça o preconceito e perceberá que a cerveja é extremamente refrescante, quando tomada com caviar. Sirva bem gelada, em copos pequenos e elegantes, assim que tirá-los do refrigerador, com um perfeito e pequeno colarinho.

 

As variedades alternaticas  –  são na maioria, ovas de esturjões criados em aquacultura, de espécies não-típicas do Mar Cáspio. Os mais comuns são, caviar de Esturjão Branco, Siberiano, Americano, do Adriático, de Peixe-espátula do Mississipi.

Devido aos elevados preços do caviar, uma série de substitutos e imitações foram desenvolvidos e são encontrados em supermercados e hipermercados, a preços acessíveis. Produtos que muitas vezes ostentam a designação “Caviar de Rússia”, e com vários aditivos e corantes, são aqueles com que a maioria das pessoas está familiarizada e pensa, erradamente, tratar-se do verdadeiro caviar.

Os substitutos de caviar – são produtos de ovas de peixe (que não são de esturjão), lavados, limpos de tecidos, salgados e por vezes prensados ou secos, com ou sem aditivos e corantes, sendo os mais comuns: Ovas de Lumpo, Salmão, Truta, Arenque, Atum, Tainha, Bacalhau, Peixe-voador (conhecido por tobiko, muitas vezes com corantes vermelho, rosa, verde e usado na decoração do sushi.

Imitações artificiais  – não são feitos a partir de ovas de peixe. São produtos,  transformados para imitar o formato de ovas, têm sempre aditivos, corantes e conservantes. Os mais comuns são os granulados/micronizados de anchova, arenque, lagosta, camarão, misto de algas castanhas.

 

Na produção do caviar – a transformação das ovas não-fertilizadas e frescas de esturjão em caviar de qualidade é um processo complexo e delicado. As ovas precisam ser retiradas de uma fêmea ainda viva, imediatamente peneiradas, lavadas, escorridas, selecionadas e salgadas num tempo máximo de 15 minutos após extração. Em seguida são levemente secas e acondicionadas em latas   (azuis para o Beluga, amarelas para o Osetra, vermelhas para o Sevruga) hermeticamente fechadas, para o processo de maturação. O enchimento das latas deve ser rápido  e a operação é feita manualmente com uma espátula não-metálica.

As casas de produção e comercialização mais conceituadas são, a Petrossian, a Caviar House & Prunier e a Kaspia, todas elas envolvidas não só na comercialização de caviar Cáspio, como também na produção de caviar de esturjão em cativeiro.

Por Nize de Freitas

dezembro 16, 2009

FALANDO MELHOR : A IMPORTÂNCIA DA VOZ

Filed under: etiqueta — champagnedascinco @ 11:36 PM
Tags: , ,

A voz é um instrumento tão poderoso como o olhar. Pode encantar e acalmar, irritar e repelir. O ideal é que a voz seja calma, sem fazer adormecer. Cuidado com a voz estridente e esganiçada. Quem tem uma voz estridente faz o possível para engrossá-la. Se não usar a voz no seu timbre natural, pode danificar as cordas vocais. Se fizer uma lista das pessoas que conhece e admira, talvez repare que uma das qualidades que a atraí é a voz delas.

Exercite sua voz:

Se achar que sua voz precisa ser trabalhada, fala um curso elementar de dicção ou procure um fonoaudiólogo. Em breve, verá que as pessoas se viram para ouvi-la, sempre que começar a falar num grupo.

As outras pessoas não ouvem a sua voz da mesma maneira que você. Para saber exatamente que tipo de voz você tem, deve fazer uma gravação, usando gravador de boa qualidade, para não interferir no resultado. Vai ouvir a sua voz tal como os outros ouvem. A voz acrescenta matizes de significado à mensagem verbal e pode até mesmo transformar a mensagem por completo.

Exercício, como treinar a sua voz:

  • Usando um gravador, de boa qualidade, leia um texto com cerca de 250 a 300 palavras;
  • Ouça a gravação e tome nota daquilo que não lhe agrada na sua voz;
  • Leia o texto de novo, tendo em conta as suas notas. Corrija-se e leve o tempo que for preciso. Tente abrandar o ritmo e articule cuidadosa e naturalmente as palavras;
  • Após alguns dias, para de ler o texto. Sente-se com o microfone todos os dias depois do trabalho e fale dos acontecimentos do dia. Tente ser objetivo sem ser seco. Depois de alguns meses, pode mandar fitas gravadas aos seus amigos, gravar histórias para os filhos, deixar a rotina para sua secretária ou empregada.

Até a próxima.

Nize de Freitas.

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: